Como lidar com o diagnóstico de infertilidade? – Primeira parte da entrevista

Dificilmente, os casais quando se imaginam desempregados POSSAM que ter dificuldades para Gerar uma criança porém, um diagnóstico de infertilidade pode abalar profundamente o lado emocional deste par, levantando uma série de questionamentos para tentar compreender o porquê não ter filhos também “, como OS OUTROS casais “. Neste cenário, muitas feridas individuais e conjugais también se abrir, iniciando-se também a separação de algo perdido: a Capacidade de engravidar naturalmente. “Todo esse processo gera dor e sofrimento, complicado tempo Necessários São Tomé e suporte emocional para estes sentimentos Elaborar. Aceito digerido Para muitos não é fácil aceitar o fato de não poder ter filhos e naturalmente, e enquanto não puder ser isso, fica Buscar uma saída alternativa para o problema. Cada indivíduo tem um ritmo diferente para aceitar e aprender a lidar com essa nova situação “, explica uma psicóloga da Clínica GERA, Luciana Leis, especializada no atendimento uma casais que Enfrentam problemas de fertilidade. Na entrevista a seguir, uma psicóloga Aborda como os casais vêm Lidando com uma questão da infertilidade, como encaram os tratamentos de reprodução assistida e como é Possível superar a dor de não ter um filho natural e partir para uma adoção de uma criança.

1) Geralmente, quando um casal busca a gravidez e esta não se dá de forma espontânea, eles cogitam, quase que Imediatamente, os tratamentos de reprodução assistida: Coito programado, Inseminação Artificial, FIV … Percebemos que há uma procura Incessante por fatores físicos causadores da infertilidade. E os fatores emocionais Geralmente são deixados em segundo plano. Como você avalia esta situação?

Luciana Leis — Na prática clínica, Percebemos que existem muitos fatores psicológicos que associados ou não a fatores físicos disfuncionais podem influenciar na resposta de gravidez. Dentre muitos, relacionados seguem os que se evidenciam com mais freqüência:
Ambiguidade frente à maternidade;
Ambiguidade frente à paternidade;
Dificuldade em assumir o papel de mãe;
Falta de espaço para a criança;
Rivalidade com Terceiros;
Desencontro de desejo do casal quanto ao momento de ter um filho;
Relações disfuncionais.

2) Os casais que Enfrentam problemas de infertilidade Têm, muitas vezes, uma percepção errônea de que tão logo iniciem o tratamento para infertilidade, conseguirão uma almejada gravidez e, em muitos casos, de gêmeos. São comuns fotos e reportagens de casais de artistas famosos que se submeteram às técnicas de reprodução assistida felizes da vida com seu (s) bebê (s), sem, no entanto, revelarem uma trajetória de angústias e sofrimentos anteriores a essa conquista. Você vivencia muito este tipo de situação?

 Luciana Leis — Sim, por isto o trabalho psicoterápico é tão importante. Procuramos explicar uma estes casais que os tratamentos de reprodução humana assistida Aumentam a resposta de gravidez, porém, não são Garantias de obtenção da mesma. As técnicas de fertilização fazendo obtêm resultados “as vezes” de uma Função que está inoperante organismo não do casal. Deste modo, por exemplo, se o problema está nas trompas que estão obstruídas, a técnica fará o papel das Nas Nas mesmas, Permitindo o encontro do óvulo com o espermatozóide fora do corpo da mulher e colocando o embrião já formado sem útero da mulher. Outro exemplo: se a dificuldade do casal está relacionada aos espermatozóides do marido que não conseguem fecundar o óvulo da companheira, uma técnica fará A função destes, Permitindo uma penetração sem um óvulo para Obtenção do embrião. Assim, em cada caso, sucessivamente, como técnicas de reprodução assistida buscarão solucionar o problema de cada casal. Da mesma forma que um casal sem dificuldades para engravidar não tem certeza que obterá em uma gravidez naquele ciclo Tiveram relações sexuais que, os que se submetem aos tratamentos de reprodução assistida não Têm Garantias de sucesso por ciclo, embora se como as chances de gravidez com Aumentem o tratamento.

3) Na sua opinião, os casais que se submetem, pela primeira vez, aos tratamentos de reprodução humana assistida tem mais fantasias a respeito dos resultados?

Luciana Leis — Percebo que o nível de expectativa de sucesso em relação aos tratamentos de reprodução assistida é bem diferente que num casal inicia sua primeira tentativa em comparação a dos outros casais que Tentam engravidar já há mais tempo. Por mais que os casais de primeira tentativa Sejam informados sobre as chances de sucesso do tratamento, Devido a fatores emocionais que operam por trás desse processo, há certa idealização do tratamento ea busca de uma solução mágica para seu problema. Desta maneira, quando o tratamento não dá certo, a dor é grande eo tamanho do “tombo” costuma ser de acordo com uma altura da idealização, colocando o casal, na maior parte das vezes, frente à realidade do tratamento para as próximas tentativas. É desejável que o casal que enfrenta problemas de fertilidade compreenda que não são gravidez e tentativas de Garantias O QUE OS Oferecem tratamentos. Levando-se esse fator em Consideração, a dor pode ser menor se a tentativa falhar ea gravidez de esperança pode se renovar para que o casal POSSA novamente se empenhar na tarefa de conseguir engravidar.

4) Uma Maioria das pessoas – tanto homens quanto mulheres – Possui dentro de si o desejo de ter filhos, de poder continuar Existindo Através de um outro que o represente. Ao se depararem com um diagnóstico de infertilidade, homens e mulheres vivenciam esta experiência de maneiras distintas. Como a mulher vivencia este problema?

Luciana Leis — A vivência de infertilidade é por demais frustrante para as mulheres. Na Maioria das vezes, traz em seu bojo sentimentos de raiva exemplo (por perguntam, quando o porquê ela eo marido não tem filhos), inveja (quando uma amiga engravida assim que pára de tomar a pílula), sensação de fracasso (por tentar engravidar todo mês e se deparar com uma vinda da menstruação) … Todos esses sentimentos, rechaçados pela sociedade e sempre – quase – por, nós Nas Nas mesmas, são experimentados e logo em seguida bloqueados. Não é permitido que as mulheres entrem em contato com eles, para não irem contra “o modelo ideal de mulher e menina”. Há Necessidade de uma certa flexibilidade emocional e de permissão para que alguns sentimentos hostis RECONHECIDOS POSSAM e vivenciados ser, sem culpa, em meio às dificuldades para Obtenção da gravidez. Nossos sentimentos e atitudes nem sempre são nobres e nem tem Obrigação de ser. Sendo menos rígidas e mais tolerantes com nós Nas mesmas Nas, abrimos uma Possibilidade de vivenciar uma Totalidade de nossas emoções, boas ou más, tornando-nos, assim humanas, mais.

Anúncios

E você, o que pensa sobre este assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s