Ameaça à fertilidade

Cerca de 13% dos brasileiros com vida sexual ativa já Tiveram algum tipo de DST (doença sexualmente transmissível). Dos 10,3 milhões de infectados, cerca de 6,6 milhões são homens, no entanto, quase 20% deles e tratamento não Buscam, entre os que Buscam, um em cada quatro tenta resolver o problema no balcão da farmácia em vez de ir ao médico. Os dados fazem parte de pesquisa divulgada ontem pelo Ministério da Saúde feita com 8.000 pessoas, de 15 a 64 anos. “A Organização Mundial da Saúde considera ônus para uma população se a taxa de prevalência de DST curável é maior que 5%”, diz Rosane Figueiredo Alves, presidente da Sociedade Brasileira de Doenças Sexualmente Transmissíveis. Na Maioria dos casos, as DST são tratadas fáceis de Serem. Dados “Os que mostram uma população masculina não busca os serviços de saúde como deveria”, disse o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. No caso das mulheres Pesquisa, Buscam Tratamento de não 11%, mas, entre as que procuram ajuda, quase um Totalidade recorre à rede de saúde. Dados recentes da OMS mostram que, a cada ano, surgem cerca de 340 milhões de novos casos de DST no mundo. O sintoma mais citado por homens foi o corrimento uretral, Ocorre que em casos de gonorreia e clamídia. Entre as mulheres, foram as feridas. Não tratar essas doenças pode levar um câncer e infertilidade. A pesquisa do Ministério da Saúde mostrou que os profissionais de saúde Têm também de estar mais atentos. Entre as pessoas com sintomas que recorreram à rede de saúde, só 30% foram orientadas a fazer o teste do HIV. “A DST pode aumentar em até 18 vezes o risco da transmissão do vírus da Aids”, afirma a diretora do Programa Nacional de DST e Aids do Ministério da Saúde, Mariângela Simão. Uma das estratégias da Campanha de Combate às DST do Ministério da Saúde é que Incentivar as pessoas que alguma dessas doenças parceiros comuniquem Têm seus. Foi lançado um site do Ministério em que é Possível Enviar mensagem anônima informando o diagnóstico de DST para o parceiro sexual. O site http://www.aids.gov.br / muitopra zer também traz informações sobre as doenças.

FONTE: FOLHA DE SÃO PAULO

Anúncios

E você, o que pensa sobre este assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s