Carne ameaça fertilidade masculina

 Dietas ricas em carne vermelha (bovina e suína) devem ser evitadas por homens que pensam em ter filhos – principalmente os que precisam recorrer a técnicas artificiais de reprodução. Um estudo brasileiro publicado recentemente na revista científica Fertility and Sterility apontou o consumo excessivo do alimento como o mais novo vilão da infertilidade masculina. Para especialistas, a ingestão de 68 gramas a cada 1 mil calorias diárias (o equivalente a um bife por dia) já seria o bastante para caracterizar o perigo. “O excesso pode influenciar na qualidade do sêmen e prejudicar a motilidade (capacidade de movimentação) e a taxa de implantação (capacidade do esperma gerar um bom embrião)”, diz o especialista em reprodução humana Edson Borges, coordenador da pesquisa conduzida pelo Instituto Sapientiae, vinculado à Faculdade de Medicina de Jundiaí. Foram entrevistados 250 homens submetidos a fertilização assistida. O hábito de consumo excessivo de carne vermelha foi confirmado por todos – o que levou os pesquisadores a relacioná-lo com a infertilidade. Segundo Marcello Cocuzza, médico-assistente do Centro de Reprodução Humana da Divisão de Clínica Urológica do Hospital das Clínicas (HC), as alterações no sêmen ocorrem por conta do aumento do estresse oxidativo no organismo – uma espécie de desequilíbrio entre a produção de radicais livres (moléculas liberadas pelas células durante a absorção dos alimentos) e os antioxidantes (moléculas que ‘combatem’ os efeitos negativos dos radicais livres, como alterações celulares, envelhecimento e algumas doenças, entre elas osteoporose e câncer). “A carne vermelha em excesso funciona como gatilho para desencadear o processo de estresse no organismo”, diz Cocuzza.   “Ingerimos xenoestrogênios e esteroides anabolizantes, substâncias tóxicas sintéticas utilizadas na ração para engordar o gado confinado. Ambas são capazes de interferir na fertilidade masculina”, diz o pesquisador Borges.

Outros fatores

“Como tudo na vida em excesso, a carne vermelha faz mal. A qualidade do sêmen e, consequentemente, a fertilidade masculina também dependem de uma alimentação balanceada”, diz o urologista Fábio Firmbach Pasqualotto, membro da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). “Outro fator que influencia na qualidade do sêmen é a idade. A partir dos 40 anos, o homem tem uma diminuição hormonal natural”, completa Firmbach. O cigarro, álcool, medicamentos controlados, como antidepressivos, a obesidade, alimentos industrializados, estresse e drogas ilícitas também comprometem a fertilidade. “Não podemos apontar um único vilão. É uma questão multi fatorial que influencia a fertilidade masculina”, afirma Sandro Esteves, membro da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH).

Fonte: Jornal da Tarde

E você, o que pensa sobre este assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s