Como REALMENTE funciona a doação de óvulos

A novela Fina Estampa vem trazendo questões importantes a serem pensadas com relação às técnicas de reprodução assistida, porém, nem tudo é como realmente acontece com os tratamentos para infertilidade.

É o caso da disputa pela criança que acontece na trama entre a mãe biológica (Bia) e a que gestou (Esther). Primeiramente, esse fato jamais seria possível considerando as leis que regem esse processo no Brasil, já que, para ser uma doadora, a mulher precisa também estar passando por tratamento de FIV ou ICSI e a doação precisa ser anônima. Explicando melhor, nem quem doou sabe para que foi o óvulo (nem mesmo se houve gravidez) e nem quem recebeu sabe quem doou.

O fato de precisar ser uma paciente em tratamento para ser a doadora de óvulos ocorre devido a não se poder estimular a ovulação  e nem realizar a coleta de óvulos (feita em centro cirúrgico) de uma mulher que não precisaria passar por esse tipo de procedimento, já que esse pode ter alguns efeitos colaterais

A falta de conhecimento sobre o assunto, muitas vezes, faz com que mulheres que possuem necessidade de adoção de óvulos queiram apresentar às Clínicas de Reprodução Assistida suas doadoras, na maioria das vezes, irmãs ou amigas. Esse fato não é possível devido ao caráter do anonimato que essa técnica exige em nosso país, porém, em alguns países isso é possível.

Em casos como esses, há dilemas psicológicos importantes, pois, por exemplo, a irmã que doou será a tia ou a mãe? E  a cabeça da criança em meio a esse processo?

Penso que informar sobre esse assunto é super importante, pois algumas mulheres podem se sentir desistimuladas à doação, preocupadas com as possíveis conseqüências da mesma.

Em nosso país há filas de mulheres que buscam por um óvulo para poderem realizar o sonho de ser mãe e que, portanto, contam com a generosidade e boa ação de outras mulheres que, também como elas, passam pelo difícil problema da dificuldade de gravidez.

Luciana Leis

8 respostas em “Como REALMENTE funciona a doação de óvulos

  1. De fato, Luciana, é muito importante esclarecer tais assuntos. Não assisto o programa, mas parece-me que há distorções significativas da realidade, cabíveis no mundo da fantasia, mas com repercussões potencialmente lesivas ao nosso cotidiano.

    Complementando seu post, é importante deixar claro que, embora ainda não tenhamos leis regulamentando a Reprodução Assistida no Brasil, temos a normatização ética, regida pelo Conselho Federal de Medicina, a partir da Resolução 1957/2010, que está acessível a todos, é documento público.

    Parabéns pelo seu Blog!

  2. eu acredito que mãe é a que carrega 9 meses, sofre dores de parto e que ve o primeiro olhar do seu bebe, assim como pai não é aquele faz mas sim aquele que cria, eu tenho 3 filhas mas agora quero reverter minha laqueadura para poder ser mãe novamente pois sou casada pela 2 vez e meu esposo não tem filhos.
    assim que eu conseguir engravidar tambem vou doar meus ovulos, sou afavor da doação de ovulos . parabens a vcs

  3. Bom pra mim não teria nenhum problema em doar meus ovúlos. Até porque ja realizei meu sonho de ser mãe por duas vezes. Mas acho que o assunto deveria ser mas explorado, Afinal a midia estar ai a nossa disposição. e sabe como é? o que é desconhecido assusta.

  4. Eu ainda não tenho filhos, é meu sonho ter, mas ainda preciso de mais um tempo. corro algum risco doando meus óvulos?

    • Olá, Valéria!
      A doação de óvulos não dificulta vc engravidar e ter filhos no futuro, já que desde que nascemos temos óvulos em grande quantidade. Porém, no Brasil, para que vc seja uma doadora, é necessário ter até 34 anos e 11 meses. Os riscos com a doação são baixos, dentre os principais o hiperestímulo ovariano. Vale lembrar que, no Brasil, a venda de óvulos é proibida e a doação precisa ser de forma altruísta. Caso vc opte por doar, penso que uma conversa com o médico da clínica de reprodução assistida que irá lhe atender, para tirar todas as suas dúvidas sobre riscos, é bastante importante.
      Abraços

  5. Parabéns Luciana Leis, ótima matéria!
    Por eu ser nova e não ter a pretensão, tão cedo, de ter filhos resolvi realizar a doação de óvulos.
    Tem todo um processo cuidadoso, antes de mais nada uma consulta com uma psicóloga para saber se você realmente está prepara e quer realizar a doação, pois existem casos em que mulheres relativamente novas fazem a doação e quando chegam a uma determinada idade passam do período para ter uma gestação segura, ou realmente não conseguem engravidar, e acabam pensando naquele suposto “filho” que tem em algum cantinho no mundo. Para isso, algumas congelam seus óvulos para diminuir tais riscos de não ter filhos com seu próprio genoma.
    Também é feito uma análise da região para qual receptora irá, dando preferência para lugares mais distantes da residência da doadora. Dentre outros cuidados.
    Esses são alguns detalhes que me explicaram antes de realizar a doação.
    Ao total, estou a 4 meses no processo e nesta segunda irei fazer a punção, penúltima etapa antes da coleta do óvulos.
    É uma experiência nova para mim e que deveria ser mais divulgada para ajudar futuras mamães!
    Essa ideia eu apoio!!

    Grande abraço!!

E você, o que pensa sobre este assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s