“E aí? Vocês não querem filhos?”

pesoÉ fato que, de acordo com a fase que você está vivendo, alguns acontecimentos são esperados da sociedade para com sua vida. Assim, se você já passou dos vinte anos, ao menos namorando deveria estar, se já namora há algum tempo, precisa casar e, se já casou e ainda não teve filhos, está na hora de providenciar. É inevitável esbarrar com esses tipos de cobranças dos que estão à nossa volta ao longo da vida, porém, dependendo do momento emocional que estivermos passando, essas cobranças podem ter um peso maior ou menor.

A famosa pergunta: “E aí? Vocês não querem filhos?”, ao casal que já está junto há um certo tempo, pode ser muito incômoda. Principalmente, se eles já estão tentando engravidar e aguardam ansiosamente o momento em que isso irá acontecer.

Tudo bem que, na maioria das vezes, quem pergunta não tem o objetivo de ferir ninguém e o faz de forma despretensiosa, porém, quem escuta pode sentir-se extremamente irritado (a), pois é como se estivessem colocando o dedo em sua ferida, reforçando que algo não vai bem e não está dentro do esperado.

A cobrança por um filho, quando é feita por familiares, costuma ter um peso ainda maior: “Vocês precisam me dar um neto!”, “Quero ser logo titia!”, ” Meu filho precisa de um priminho!”, entre outros. Esses comentários só se somam às auto-cobranças dos casais que buscam engravidar, que logicamente querem o almejado filho, mas também buscam atender às expectativas dos que amam. Não é à toa que essa pergunta dói.

Muitos casais chegam a mentir que não estão buscando engravidar, ou até mesmo, dizem que não querem filhos para fugir desse tipo de comentário e das pressões neles depositadas.

Diante de situações como essas, é importante que o casal possa aprender a se proteger desse tipo de cobrança e tudo o que ela pode lhes representar. Colocar limites ao outro e mostrar o que incomoda pode ser uma saída, até mesmo para evitar futuros constrangimentos e irritações.

Ninguém tem “bola de cristal” para saber o que nos machuca e, por  mais óbvia que a situação possa parecer, nem sempre as pessoas percebem que algumas perguntas podem ser inadequadas em certos momentos. Assim, cabe a nós nos pouparmos de sofrer, sem nos preocupar em matar a curiosidade alheia. Marcar o que incomoda é diferente de ser indelicado(a) e pode evitar chateações ainda maiores.

Luciana Leis

5 respostas em ““E aí? Vocês não querem filhos?”

  1. Dra. Luciana,
    Trabalho na area de RH e muitas pacientes me abordam sobre esse tema (pressão para engravidar). Gostaria de pedir autorização para publicar o texto acima na minha rede social.
    Att
    Lidia Zanatta

  2. Adorei este post e o modo como foi escrito: das perspectiva de quem está sendo “incomodado” com tal cobrança. Atualmente (há alguns anos na verdade) tenho passado por isto e, no meu caso, já chegou a um nível extremamente irritante – parentes meus e dele, além de amigos e até colegas de trabalho! No momento estou preocupada comigo porque na verdade estava procurando informações a respeito de gravidez psicológica e também alguma correlação desta com a cobrança social para que a mulher engravide a partir de certa idade ou de quando case. Não aguento mais as cobranças e o pior é que acho que posso estar desenvolvendo uma gravidez psicológica por isto, pois tenho tido sintomas relacionados à gravidez, porém tenho certeza de que não estou (fui à minha médica recentemente por causa dos sintomas estranhos a cada menstruação). É triste, mas é verdade. Até meu nível de prolactina está aumentado. Não sei bem o que fazer para reverter tal situação – tenho até medo que minha barriga comece a crescer sem nada lá dentro do útero, mas com fé em Deus isto não acontecerá. O que queria deixar é uma mensagem a todas as pessoas de que ter um filho ou não é uma decisão extremamente particular, individual e, que só por isso, cada um já deveria tratar de se conter e deixar de cobrar dos outros tal atitude, pois podem prejudicar ( e prejudicam de uma forma ou de outra) as pessoas que tanto amam por não saberem seus limites ou não respeitarem os limites dos outros.

    • Ah, em tempo: atrapalham tanto que acabam deixando as pessoas na dúvida se quando chegarem a querer ter um filho será por sua própria vontade ou pela cobrança a qual estão sendo submetidas.

E você, o que pensa sobre este assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s