O que é real e fictício a respeito dos tratamentos de reprodução assistida na novela “Amor à Vida”

niko_eron_amarilysOlá, seguidores!

Quero aproveitar para discutir hoje as questões relacionadas aos tratamentos de reprodução assistida trazidas pela novela “Amor à vida”. Na trama, um casal homossexual (Eron e Niko) decide que terá um filho com a ajuda de óvulos de doadora e com uma “barriga de aluguel”. Chegam a entrevistar algumas mulheres candidatas à gestação do filho deles, porém, não se entusiasmam por nenhuma. Além disso, o casal decide misturar o sêmen de ambos para que seja realizada a fertilização in vitro, com o intuito de que não saibam quem será o pai biológico da criança. Em meio a esse processo, uma amiga do casal (Amarilys) se oferece para ajudá-los com a cessão temporária de seu útero. Porém, como ela é funcionária do hospital onde o procedimento será realizado, combina com o médico que utilizará seus óvulos, e não os de uma mulher doadora, para fertilizar com o sêmen dos seus amigos. Até o momento, foi realizada uma tentativa de fertilização in vitro, a qual não teve resultado positivo.

Bom, vamos lá entender, de fato, o que é verossímel nesta história e o que é obra da ficção desta trama. Primeiramente, no Brasil, a “barriga de aluguel” não é permitida, ou seja, nenhuma mulher poderá obter ganho financeiro para ajudar um casal a ter filhos. O que é permitida é a cessão temporária do útero, que consiste no ato de uma mulher- parente de um dos membros do casal que deseja engravidar- ceder seu útero gratuitamente para a gestação. Só terão indicação para o procedimento de cessão temporária de útero casais homossexuais masculinos, mulheres que tenham alguma contra-indicação médica para engravidar ou que não tenham seu útero. Além disso, caso o casal não tenha um familiar disposto à ajudá-los na gestação, poderão buscar ajuda com uma amiga, desde que o Conselho Regional de Medicina aprove esse ato, mediante análise de cada caso.

Desta maneira, após o casal da novela (Eron e Niko) desistir de alugar uma barriga, a opção pela ajuda da amiga está de acordo com as leis brasileiras. No entanto, não é permitida a mistura de sêmen para a fertilização in vitro, já que é necessário sempre a identificação dos pais biológicos da criança.

Outro dado fantasioso da trama é a utilização do óvulo da amiga na fertilização do embrião do casal, uma vez que, na cessão temporária de útero, a mulher só participa deste processo com seu útero e não, também, com seus óvulos. Em alguns países fora do Brasil isso pode ser permitido, mas não aqui.

Um ponto forte da novela foi o tratamento não ter dado certo logo na primeira tentativa, desmistificando a opinião popular de que é fácil engravidar com a ajuda dos tratamentos de reprodução assistida. É fato que existem casais que engravidam na primeira tentativa, mas não são a maioria. A verdade é que o sucesso desses tratamentos estão atrelados ao número de vezes que o  casal tenta engravidar e também à uma boa dose de paciência necessária durante todo esse processo!

Luciana Leis

E você, o que pensa sobre este assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s