Desejo de ser mãe X Desejo de ter um filho: afinal, é a mesma coisa?

Mother's love. Cute baby 6 month with mother.

Olá seguidores

Hoje quero discutir com vocês um tema que, a princípio, parece ser a mesma coisa, mas não é… Afinal, qual a diferença entre querer ser mãe e querer TER um filho?

Antes de explicar essa diferença, penso ser importante trazer para discussão os aspectos emocionais que estão por trás do desejo de ser mãe, que implica sim em querer vivenciar o processo de cuidar e educar uma criança, mas que também implica em realizações narcísicas.

Sim, porque se relaciona com o narcisismo o fato de se sentir capaz de gerar uma criança, ver nela traços físicos parecidos com os seus, atitudes de comportamento semelhantes e, de certa forma, ter uma continuidade sua aqui neste planeta após a partida. Por isso é que a experiência da infertilidade costuma ser tão dolorosa, pois, além de ser necessário lidar com o adiamento do sonho da maternidade, sentimentos de incapacidade, menos valia e impotência costumam fazer parte deste cenário por estarem relacionados ao narcisismo que caminha junto com esse desejo.

Assim,  é  “normal” o narcisismo estar vinculado ao desejo de ser mãe, o complicado é quando ele sobrepõe-se ao desejo de ser mãe, ou seja, quando o filho é buscado por questões narcísicas somente.

Já presenciei casos onde a mulher nunca tinha cogitado ser mãe e, a partir da fala de seu ginecologista em uma consulta de rotina: “A senhora, dificilmente, poderá ser mãe, visto  que já está com idade muito avançada.”; procurou um médico especialista em reprodução assistida e disse:” Quero engravidar, vou provar para aquele médico que posso sim engravidar! Como ela se atreve dizer que não posso!”.

Casos como este mostram que o desejo de TER um filho, prevalece sobre o desejo de ser mãe, pois a preocupação encontra-se exatamente no ter e não no ser mãe. Outro exemplo relacionado a isso refere-se aos casos onde a mulher quer engravidar após a irmã, cunhada ou amiga ter engravidado porque acredita que não “pode ficar para trás” e não porque passou a querer ser mãe.

Portanto, penso ser importante refletirmos sobre esses aspectos, afinal, embora questões narcísicas estejam presentes no desejo de ser mãe, buscar a gravidez, principalmente, para realizar-se neste sentido, pode ser muito arriscado para mãe e  criança, uma vez que ser mãe corresponde a algo que extrapola a autoestima e diz respeito a um intenso trabalho de dedicação ao processo de formação de um outro, claro que, tudo isso, envolvido em meio a muito amor.

Luciana Leis

E você, o que pensa sobre este assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s